Notícias

No Vale do Ribeira, Ana Perugini defende projeto de lei que compensa os municípios com presídios

Em seu primeiro compromisso na cidade, Ana concedeu entrevista ao programa Exporte Vale, um canal web de grande repercussão no Vale do Ribeira conduzido por Antonio Moraes (Toninho). Em tom descontraído, a deputada falou sobre os recursos tecnológicos utilizados pelos árbitros na Copa do Mundo: “Sou favorável à utilização, mas acho que deveria ter um critério para evitar injustiças”, ressaltou a deputada, comentando sobre os dois jogos do Brasil e a utilização do vídeo em apenas um deles.

Além da Copa do Mundo, a deputada explicou como nasceu sua relação com a cidade de Cajati: “Ainda como deputada estadual, conversava com o pastor Gino, em Hortolândia, que me pediu para ir até o Vale do Ribeira. Naquele momento, havia uma discussão a respeito da instalação de um presídio entre Pariquera-Açu e Registro, municípios vizinhos de Cajati. O pastor sabia de nosso projeto de compensação a municípios com unidades prisionais (PL 556/2007)”, lembrou a deputada.

Apesar da resistência do povo de Registro, na figura da então prefeita Sandra Kennedy, com quem a deputada conversou à época, um Centro de Detenção Provisória (CDP) com capacidade para 847 presos acaba de ser construído. A novidade, entretanto, é que, após tantos debates e audiências públicas realizadas pelo mandato estadual da deputada Ana Perugini para tratar sobre o tema desde 2007, o governador Márcio França anunciou que vai compensar os municípios com unidades prisionais. Logo após o anúncio do governador, a Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei 7.757/2017, proposto pela deputada Ana, que pretende compensar todos os municípios do país que abrigam unidades prisionais.

Ana esteve também no Bairro Bico do Pato, na rua de mesmo nome, asfaltada com recursos do Ministério das Cidades, indicados pelo seu mandato federal.

No Plenário Renê Martins, da Câmara Municipal, a deputada foi recebida por integrantes do Partido dos Trabalhadores (PT) de Cajati, de Registro e de Ilha Comprida. Também estiveram presentes representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, da Associação dos Agricultores Familiares e da Prefeitura de Cajati. Uma das preocupações dos participantes era com a demissão em massa anunciada por uma grande empresa de fertilizantes do município, além da exploração sem controle de minerais existentes na região.

Para a deputada federal Ana Perugini, todas as demandas locais e regionais estão ligadas à crise institucional e política que trouxe consigo diversos projetos que levaram o Brasil a um retrocesso sem precedentes: “Por coerência, votei contra o projeto que congelou os gastos públicos por 20 anos. Da mesma forma, votei contra a abertura da exploração do pré-sal a empresas estrangeiras, a reforma trabalhista e a terceirização irrestrita do mundo do trabalho, que para mim é muito mais precarização que modernização das leis trabalhistas”, desabafou.

A deputada Ana Perugini, que, em 2018, completa 13 anos de atividade parlamentar, é presidenta da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara dos Deputados, coordenadora-adjunta da Secretaria da Mulher da Casa Legislativa e coordenadora-geral da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Direitos Humanos das Mulheres no Congresso Nacional.

Ana também integra as comissões de Educação, Desenvolvimento Urbano e Seguridade Social e Família na Câmara Federal, além de coordenar, no Estado de São Paulo, as frentes parlamentares pela Implantação do Plano Nacional de Educação e de Promoção e Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Notícia anterior

CMulher, espaço de resistência e produção

Próxima notícia

Projeto de Ana Perugini de compensação a municípios com presídios avança na Câmara dos Deputados