Notícias

“Educar é amar, educar é libertar!”, afirma Ana Perugini, em defesa do Plano Nacional de Educação

“Educar é amar; educar é libertar!”. A afirmação é da deputada federal Ana Perugini, ao receber cerca de 300 pessoas, lideranças comunitárias, educacionais e políticas, durante seminário em comemoração ao primeiro aniversário do Plano Nacional de Educação (PNE), realizado na sede da Faculdade Uniesp, em Hortolândia, na Região Metropolitana de Campinas (RMC), no dia 29 de junho.

O evento, uma promoção do mandato da deputada Ana Perugini, contou com a presença do professor de filosofia e história da educação, César Nunes, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Ana Perugini, única mulher da bancada  federal paulista, formada por 10 deputados do Partido dos Trabalhadores(PT), é integrante da Comissão de Educação e da Frente Parlamentar em Defesa da Implantação do PNE.

“O Plano Nacional de Educação (PNE), que acaba de completar um ano, é um sinal inequívoco do avanço civilizatório pelo qual passa o Brasil desde a posse de Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente intuitivo que soube planejar a estrutura do ensino como a melhor saída para o desenvolvimento do país. Um Plano que traz a humanização e a cidadania como pilares da missão de educar, e que nos remete à poesia cantada por Renato Russo: é preciso amar, como se não houvesse amanhã”. Ao reforçar a defesa do PNE, o professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), sustentou que “escola não é cobrança; escola é herança”.

Ao longo de sua explanação, o professor César Nunes fez duras críticas ao modelo da educação da era de Fernando Henrique Cardoso, tempo em que não houve preocupação com a garantia de investimentos para a expansão da rede no País. “Uma época em que não se respeitou o direito das crianças pela escola; um momento em que as universidades federais foram deixadas à míngua”.

Com a chegada do presidente Lula, salientou o professor da Unicamp, tudo mudou. Na visão do especialista: “A criança passa a ser beneficiada pelo novo olhar. Prevalece o direito de estar na escola; humanização e cidadania ganham espaço como políticas públicas, marcadamente democráticas, inclusivas, na perspectiva  do reconhecimento à diversidade, e da facilitação do acesso das crianças às creches, e dos jovens às universidades públicas, e mesmo privadas”.

Essa nova gestão, a partir do professor Fernando Haddad no Ministério da Educação, por indicação do presidente Lula, abre a oportunidade da integração da educação infantil na educação básica. De outro lado, o acesso dos estudantes ao curso superior é alcançado com os programas de financiamento e com a implantação dos Institutos Federais de Educação país afora.

César Nunes, em tom de alerta, conclamou a todos pela necessidade de perseverar no caminho traçado pelo PNE, que é composto por 20 metas, associadas a todas as circunstâncias do ensino, como currículos, fluxo escolar, médias de desempenho nas avaliações dos alunos, estabelecimentos escolares e instituições universitárias, valorização dos educadores, exigências para o aumento da oferta da formação de doutores entre os docentes, entre outras de relevância da área. E aí, com criatividade e poesia, novamente provocou o público: “Afinal, não diga que a batalha está perdida, pois é de batalha que se vive a vida”.

Até porque, ele lembrou, a Lei garante que o Brasil deverá aplicar, 10% do Produto Interno Bruto (PIB), para financiamento da educação, até 2024, tempo limite do atual PNE. “Devemos ter orgulho de tudo que alcançamos, especialmente com a democratização do acesso ao ensino e com o respeito à diversidade, e ao direitos das minorias. Um legado de uma história de coragem e de esperança, que tem a intuição do presidente Lula”, enfatiza o professor da Unicamp. “Nosso compromisso de honra, a qualquer tempo, em quaisquer lugares: o roteiro estabelecido pelo PNE”, frisa a deputada Ana Perugini, ao estimular a participação cidadã, cada vez mais qualificada.

O seminário realizado em Hortolândia, por iniciativa do mandato da deputada Ana Perugini, foi elogiado pelo professor, representante da Faculdade Uniesp, André Padovani; pela primeira dama do município, Cleudice Baldo Meira, também secretária de Educação, e pelo professor Auriel, deputado estadual pelo Partido dos Trabalhadores, de Guarulhos, cidade da Região Metropolitana de São Paulo.

Notícia anterior

Lula: a educação é o principal debate que devemos levar à sociedade brasileira

Próxima notícia

Sobre a Redução da maioridade Penal