Notícias

Deputada federal Ana Perugini participa de ato em apoio a Lula em SP

A deputada federal Ana Perugini, coordenadora-geral da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Direitos Humanos das Mulheres, participou do abraço simbólico ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, realizado na manhã desta quinta-feira (13), no Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores, na capital paulista.

O ato reuniu deputados, senadores e lideranças do PT, de movimentos sociais e sindicais, como o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a Central Única dos Trabalhadores (CUT), além de intelectuais como o escritor Raduan Nassar, vencedor do Prêmio Camões 2016.

O ato de solidariedade ocorreu um dia depois de Lula ter sido condenado, sem provas, pelo juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba (PR), Sérgio Moro, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso envolvendo o apartamento triplex do Guarujá, no Litoral Sul de São Paulo.

“Não há dúvidas de que a condenação do Lula foi equivocada e arbitrária, proferida por uma Justiça parcial, que abriu mão de suas prerrogativas para fazer perseguição política. Nesse momento, é importante estarmos todos juntos, apoiando o presidente, para que ele possa provar sua inocência e voltar a governar o nosso país”, afirmou a parlamentar, que integra a coordenação da Bancada Feminina na Câmara dos Deputados.

Após o encontro, Lula, seu advogado, Cristiano Zanin, e a presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, fizeram pronunciamentos à imprensa, enquanto militantes gritavam palavras de apoio ao ex-presidente, do lado de fora da sede nacional do partido. “Não aceitaremos um processo eleitoral em que a maior liderança desse país seja impedida de participar. Uma eleição sem Lula é uma fraude”, disse a senadora paranaense.

Depois de se manifestar disposto ser candidato em 2018, “se o PT quiser”, Lula mudou o discurso e disse estar pronto para as eleições. “Quero dizer ao meu partido que até agora não tinha reivindicado isso, mas vou reivindicar agora do PT que quero o direito de me colocar como postulante a candidato pelo PT à Presidência do Brasil”, declarou. “Quem acha que é o fim do Lula vai quebrar a cara, porque na política só quem tem o direito de decretar meu fim é o povo brasileiro”, concluiu.

Notícia anterior

'Lula não precisa de defesa; quem precisa é o povo!', diz Ana Perugini

Próxima notícia

Ana Perugini lança Frente em Defesa das Mulheres em Guaíra, no interior de SP