Notícias

Deputada Ana Perugini propõe debates sobre luta por moradia em SP

A situação dos cerca de 70 prédios ocupados no centro da capital paulista, as condições de moradia das 46 mil famílias que moram ilegalmente na cidade, as circunstâncias do desabamento do edifício de 24 andares no Largo do Paissandu e a política de moradia no país vão ser avaliados na Câmara dos Deputados e na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, em debates propostos pela deputada federal Ana Perugini.

Os requerimentos para a realização de uma audiência pública, em Brasília, e uma mesa-redonda, em São Paulo (números 214/2018 e 215/2018), foram aprovados na última quarta (9) pela Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara Federal.

A discussões em busca de caminhos para a retomada de uma política de moradia que beneficie as famílias brasileiras de baixa renda têm como pano de fundo o desabamento do Edifício Wilton Paes de Almeida, ocorrido na madrugada de 1º de maio, no Centro de São Paulo. O incêndio seguido de desmoronamento deixou 142 famílias desabrigadas e ao menos sete pessoas desaparecidas.

Horas depois da tragédia, a deputada Ana Perugini se reuniu com movimentos populares, nas imediações do local do desastre, para avaliar medidas urgentes que garantam os direitos das famílias que lutam por moradia.

Além de deputados e deputadas, os debates vão reunir arquitetos, urbanistas, engenheiros, representantes de órgãos públicos federais, estaduais e municipais, membros de movimentos sociais, entre outros atores urbanos.

Segundo a parlamentar, além de ouvir as autoridades envolvidas no processo de desocupação dos imóveis e de realocação dos moradores, o objetivo das audiências é apurar o motivo de as famílias ainda estarem no prédio que desabou e em tantos outros com situação precária parecida.

“Queremos também verificar se os direitos básicos, tanto dos sobreviventes da tragédia, quanto dos que habitam imóveis ocupados, estão sendo respeitados. Alguns desses locais reúnem características parecidas ao que desabou. Daí, a nossa preocupação de que outra tragédia anunciada ocorra em breve”, afirmou a deputada Ana Perugini, que integra a Comissão de Desenvolvimento Urbano e preside a Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher na Câmara Federal.

Na Câmara dos Deputados, a audiência pública será feita em conjunto com a Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM). As datas dos encontros, em São Paulo e em Brasília, ainda não foram definidas.

Notícia anterior

Indicado por Ana Perugini, Lar dos Velhinhos de Piracicaba vence Prêmio Zilda Arns

Próxima notícia

No Conselho Tutelar de Nova Odessa, Ana Perugini propõe cuidar da prevenção