Notícias

Ao votar pela investigação de Temer, Ana Perugini cita desvio de R$ 587 milhões e trabalho escravo

“Senhor presidente, são mais de R$ 587 milhões desviados, inclusive de empresas públicas. Quem vai pagar esse prejuízo, é o povo trabalhador? E já foi aprovado por esse governo inclusive o trabalho escravo. Pela continuidade da investigação, contra o relatório e a favor da denúncia.”

Assim votou a deputada federal Ana Perugini, na sessão de quarta-feira (25), quando a Câmara dos Deputados analisou o parecer da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC), contrário à continuidade da investigação da segunda denúncia contra Michel Temer e os ministros Moreira Franco e Eliseu Padilha, acusados pela Procuradoria-Geral da República (PGR) pelas práticas de organização criminosa e obstrução da Justiça.

Ana se referiu a valores que teriam sido arrecadados na Petrobras, em Furnas, na Caixa Econômica Federal, no Ministério da Integração Nacional, no Ministério da Agricultura, na Secretaria de Aviação Civil e na Câmara dos Deputados, num esquema de propina comandado por Temer, segundo denúncia do ex-procurador Rodrigo Janot, e à portaria que redefiniu trabalho escravo, publicada no último dia 16 pelo Ministério do Trabalho.

A parlamentar foi a terceira de São Paulo a ser chamada a um dos microfones do Plenário Ulysses Guimarães e proferiu seu voto às 20h. A sessão foi encerrada às 21h35, com o placar de 251 votos favoráveis ao arquivamento da denúncia, 233 votos contrários, duas abstenções e 25 ausências. Assim, a denúncia foi arquivada.

Ao término da sessão, Ana Perugini lamentou o resultado e defendeu a importância da educação e de maior participação das pessoas na política. “Nós vamos continuar trabalhando pelo nosso país e lutando para que a democracia e o estado de direito retornem”, concluiu Ana, em transmissão ao vivo feita pelo Facebook.

Notícia anterior

A cegueira e a violência contra as mulheres

Próxima notícia

Ana Perugini propõe Semana de Conscientização sobre as Doenças Negligenciadas