Notícias

Ana Perugini organiza debate sobre crime de ódio contra mulheres nas mídias sociais

Por iniciativa da deputada federal Ana Perugini, a Câmara dos Deputados volta a discutir na próxima quarta-feira (29) os crimes de ódio contra mulheres e meninas praticados na internet. O seminário “Mulheres, violências e mídias sociais”, autorizado nesta quarta (22) pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher (CMulher) com a aprovação do requerimento 84/2017, vai avaliar práticas criminosas compartilhadas nas redes, além de formas de prevenção e combate.

O evento – parte da campanha campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, que busca conscientizar a população sobre os diferentes tipos de agressão contra as meninas e mulheres em todo o mundo – ocorrerá dois meses depois da realização da audiência pública “Mulheres, violências e mídias sociais: como prevenir e combater crimes de ódio contra as mulheres na internet?”, também proposta pela parlamentar e realizada pela CMulher, em conjunto com a Secretaria da Mulher.

De acordo com a deputada, a ideia de promover o seminário surgiu durante o debate realizado no dia 28 de setembro, quando deputados, ativistas e especialistas em segurança analisaram os tipos de crimes cometidos no ambiente on-line e concluíram que faltam mecanismos para coibir a prática, que atinge sete em cada dez mulheres em todo o mundo.

Na ocasião, participaram da discussão a professora Janara Sousa, da Universidade de Brasília (UNB); a docente da Universidade Federal do Ceará (UFC), Lola Aronovich, autora do blog Escreva Lola Escreva; a delegada federal Diana Calazans Mann; Juliana Cunha, da ONG Safernet Brasil; além de representantes do Facebook, do governo federal e de coletivos de mulheres.

Com foco nas mídias sociais, o seminário será dividido em três mesas, compostas por deputados, membros de ONGs (organizações não governamentais), de universidades, juristas e representantes do Facebook e do Google, duas das maiores empresas de tecnologia do planeta.

MISOGINIA

Coordenadora-geral da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos das Mulheres, a deputada Ana Perugini está propôs por meio do projeto de lei 8.992/2017, a inclusão da misoginia – comportamento antissocial que difunde o ódio e a violência contra as mulheres – no rol de crimes de ódio previstos na legislação brasileira. O texto prevê nova redação para a lei federal 7.716/1989, que define os crimes de ódio, e coloca a misoginia ao lado dos crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, com penas de até 5 anos de reclusão.

Notícia anterior

Com pareceres de Ana Perugini, projetos que preveem expansão do ensino superior no país avançam na Câmara dos Deputados

Próxima notícia

Ana Perugini põe crimes de ódio contra mulheres na internet em debate nos ‘16 Dias de Ativismo’